tagline pt

Somos um coro de quatro vozes mistas (Sopranos, Altos, Tenores e Baixos), composto por pessoas de várias nacionalidades. Cantamos uma ampla variedade do que vagamente seria chamada música clássica, desde os tempos medievais até à música moderna e contemporânea. Recentemente mudámos a ênfase do nosso trabalho de peças barrocas e renascentistas para obras mais modernas, mas estamos empenhados em manter a amplitude de repertório que sempre abraçamos. Pode ver um excerto do nosso reportório completo clicando no botão relevante.

O nosso Maestro atual (o terceiro na nossa história de doze anos) é António Manuel Maria de Jesus, que tem uma vida inteira de experiência em trabalho coral, incluindo muitos anos com Coral Ossónoba de Faro. Foram anteriores maestros, o saudoso Walter Sulzer (fundador do coro) e Francisco Brazão, bem conhecido no Algarve pelo seu trabalho com o Coro das Ideias do Levante de Lagoa e por seus concertos periódicos de árias de óperas na região.

Acordai Fernando Lopes-Graça
A Gaelic Blessing John Rutter
All in the April evening Hugh Roberton
Alles was ihr tut Dietrich Buxtehude
Art thou troubled / Aria Händel
As Torrents in Summer Edward Elgar
Ave Verum Wolfgang A. Mozart
Ay linda amiga Canon espanhol
Balada do Outono Zeca Afonso
Cantique de Jean Racine Garbriel Fauré
Con Sabor Tropical Jorge Domingo
Continuum Kathryn Rose
Dirait-on Morton J. Lauridsen
Du bists, dem Ruhm und Ehre Haydn
Drum will ich ... Joh. Seb. Bach
Es wollt die Jungfrau / Rosmarin Brahms
Frühlingsahnung - O sanfter süßer Mendelssohn-Barth.
Gloria Antonio Vivaldi
Halicha Lekeisariya David Zehavi
He that shall endure to the end Mendelssohn
Hymne à la nuit J. Ph. Rameau
If music be the Food of Love Purcell
Ik zeg adieu aus Forster II 1540
It was a lover ... Thomas Morley
Insanae et Vanae Curae Josef Haydn
Jesus bleibet meine Freude J. S. Bach
Just as the Tide was flowing R. Vaughan Williams
Kōjō no Tsuki
The moon over the ruined castle
Rentarō Taki
Lascia ch'io pianga G.F. Händel
L'Ecco Orlando di Lasso
Luisinha trad. Port.
Missa Brevis Jacob de Haan
Mit Lieb bin ich umfangen Steuerlein
Now is the Gentle Season Thomas Morley
Now is the Month of Maying Thomas Morley
Ode to Queen Mary Henry Purcell
Once there were Flowers Leanne Daharja Veitch
O milho da nossa terra F.Lopes-Graca
O rama da oliveira popular
Puestos estan  
Senhora do Almurtão pop. Satz Ribeiro
Singet dem Herrn Johann Pachelbel
Siyahamba South African
Song for October Ending Kathryn Rose
Stabat mater Rheinberger
Tanzen und springen Hassler
Tutti venite amati Gastoldi
Venid a sospirar Cancioneiro de Elvas
Wach auf mein Herz und singe Bach
Weep oh mine eyes Dowland

 

This table illustrates the breadth of our repertoire. It is a sample of the full list. If you wish to see the whole thing, please get in touch.

O nosso Maestro

O atual Maestro do Coro dos Amigos é António Manuel Maria de Jesus, que assumiu o papel em 2015. Aqui está um resumo de sua impressionante carreira musical.

António começou seus estudos musicais no Seminário de S. José, em Faro e passou a estudar no Conservatório Regional do Algarve, "Maria Campina".

Mais tarde, estudou direção coral com Edgar Saramago e, em seguida, com Hubert Velten e Josef Stoiber, ambos dos quais são professores da Universidade de Regensburg, Alemanha. Ele também estudou técnica vocal com Lúcia Lemos e participou de várias masterclasses com Ana Ester Neves, Rui Baeta e Birgit Wegemann.

Ele foi co-fundador do Grupo Coral Ossónoba, em 1980. Mais tarde foi assistente do Maestro, assumindo em 1992 o papel de Maestro do coro. Fundou e conduziu o coro de "Pequenos Cantores d'Ossónoba" assim como o Coro de Câmara de Ossónoba e o Coro Juvenil e conduziu o Coro da Sé Catedral de Faro por muitos anos. Durante este tempo, ele também instruiu os líderes e condutores dos coros litúrgicos da diocese algarvia, sendo também parte de seu departamento de música litúrgica.

Ele foi diretor artístico de vários festivais de coros no Algarve, e fez turnês com os seus coros por Espanha, França, Holanda, Suíça e Brasil, bem como encontros de corais de norte a sul de Portugal.

António participou em vários concertos com a Orquestra Clássica do Sul: concertos de Natal, Carmina Burana (Carl Orff), o Messias (Handel). Tem realizado trabalhos de muitos compositores, países e áreas, o mais proeminente de que, para ele, era a missa da coroação (Mozart), West Side Story (Bernstein) e The Sound of Music (Rodgers e Hammerstein).

O nome completo do nosso coro é 'O Coro dos Amigos do Museu de São Brás', que é um pouco extenso, mas revela as origens do coro e o seu status atual. O nome reflete o fato de que esta  iniciativa conjunta do primeiro maestro Walter Sulzer e dos Amigos do Museu do Trajo, foi para adicionar aos muitos aspectos culturais da vida promovido pela equipe do Museu. Este link continua forte. Havia apenas cinco mulheres envolvidas como cantores no início, mas sob a orientação de Walter, o coral cresceu e se tornou o agrupamento internacional que é hoje. O número dos nossos membros oscila, claro, com as pessoas a sairem e a chegarem ao Algarve, mas também sempre mantivemos um núcleo sólido de membros que trabalha com o coro há anos. Eles vêm de muitos países: Portugal, claro, mas atualmente também do Reino Unido, Alemanha, Irlanda, Noruega, Áustria, Suíça e Holanda e no passado tivemos membros de lugares como Canadá e Japão, para citar apenas dois.

O coro, focado na música barroca, rapidamente obteve uma brilhante reputação por suas interpretações de peças clássicas. Com o passar do tempo, incluímos canções tradicionais portuguesas e repertório de compositores portugueses modernos, bem como música de todo o mundo, cantando na maioria das línguas dos nossos membros. E claro, que incluimos uma canção em Japonês – gostamos de um bom desafio! Falando de desafios, o coro também fez uma produção de Purcell "Dido e Aeneas" em conjunto com o grupo de teatro do Museu, Aperitivo, que foi certamente um desafio mas também de enorme diversão.

O Coro dá concertos regulares, não só em São Brás, mas também no Algarve, e teve participações em festivais de coros, nomeadamente o de Olhão Festival Coros em 2017. Cantamos com o Loulé Ensemble de Flautas de Bisel, a convite do falecido Francisco Rosado e continuamos a trabalhar novo repertório para continuamente o ampliar.

Quando Walter Sulzer se aposentou em 2013, o novo maestro foi Francisco Brazão, que é bem conhecido em todo o Algarve como intérprete e professor, e ele continuou a desenvolver as capacidades do coro. Um destaque entre muitos foi um desempenho na Igreja Matriz da "Música para o Funeral da Rainha Maria" por Henry Purcell, que foi realizada em conjunto com a Banda Filarmónica de São Brás de Alportel, uma colaboração que levou a novos trabalhos juntos.

Quando percebemos em 2015 que estávamos a perder Francisco Brazão para uma aventura escocesa, considerou-se que não seriamos tão afortunados com um terceiro maestro após o alto padrão estabelecido pelos dois anteriores. Estávamos errados. António Manuel Maria de Jesus, que havia cantado na seção dos tenores por um ano, concordou em assumir a direção do coro, trazendo os  seus muitos anos de experiência coral e vasto conhecimento musical, e ele tem sido tão exigente, incentivando e inspirando como Walter e Francisco. Sob sua liderança, temos dado muitos concertos e para dar apenas um exemplo, o coro, em conjunto com o Coro da Academia de Música de Tavira, interpretou "Gloria" de Vivaldi em Tavira e São Brás em 2017 e em Janeiro de 2018, em conjunto com a Banda Filarmónica de São Brás de Alportel a apresentação da Missa Brevis por Jacob de Haan.

Tal como acontece com muitos coros, e talvez sobretudo para um coro clássico, o recrutamento pode ser difícil. Estamos sempre felizes por receber potenciais novos membros, particularmente tenores e baixos. Cantar música clássica em harmonia é algo todo mundo pode e deve desfrutar. Não são necessários conhecimentos musicais. O coro usa arquivos midi e outras formas para ajudar os Membros a aprender as novas músicas. Não é necessário saber ler música. Por que não dar uma tentativa? Consulte a seção de contatos do site para os detalhes de como entrar em contato.

O coro foi fundado em 23 de março de 2006, quando Walter Sulzer decidiu procurar cantores interessados em juntar-se um coro misto para interpretar música polifónica das épocas renascentistas e barrocos. Cinco mulheres responderam ao seu anúncio e quatro delas ainda estão no coral hoje, que agora tem um núcleo de 25 membros de vários países (atualmente, Alemanha, Holanda, Irlanda, Noruega, Portugal, Suíça e Reino Unido), além de membros adicionais de "flutuantes" que ocupam o seu tempo entre Portugal e o seu país de origem.

Sendo um grupo tão internacional, é natural que o coro cante em várias línguas, e o repertório agora foi estendido do originalmente renascentista e barroco para incluir músicas de várias épocas, bem como ambas as canções populares portuguesas e obras de compositores portugueses. O coro tem se apresentado em muitas cidades no Algarve e participou no Festival de Coros do Algarve e na Semana Coral de Lagoa, bem como realizou concertos em conjunto com outros grupos corais e instrumentais.

Este ano marca o 12º aniversário do coro – e continuamos a trabalhar e a crescer cada vez mais.

 

choir